Cigarro

Adesivo para parar de fumar: como funciona, prós e contras

Deixar o cigarro é um desafio e tanto para muita gente. Por isso, é bom contar com aliados como o adesivo para parar de fumar. Ele ajuda a reduzir os sintomas da síndrome de abstinência, que causa reações para lá de desagradáveis.

Os sintomas incluem ansiedade, irritabilidade, alterações do sono, dificuldade de concentração, suor frio nas mãos e fome compulsiva, entre outros.

O adesivo para deixar de fumar libera uma quantidade considerada segura de nicotina para que as consequências da abstinência diminuam sem que a pessoa precise recorrer ao cigarro e, portanto, voltar ao vício. Existem vários produtos hoje no mercado, com níveis diferentes da substância.

O produto é colocado sobre a pele em qualquer parte do corpo, contanto que ela não tenha pelos. E vai liberando a nicotina durante 24 horas sem interrupção, sendo o pico de absorção entre quatro e nove horas a partir do contado inicial.

O adesivo de nicotina faz parte de um grupo de recursos utilizados na Terapia de Reposição de Nicotina (TRN). Outra vantagem dele, além de ajudar a pessoa a ficar livre de uma das substâncias mais viciantes do cigarro, é que ele afasta o indivíduo de outras como o alcatrão e o monóxido de carbono, elementos ainda mais nocivos.

A vantagem principal da reposição de nicotina é que, ao ajudar a reduzir as crises de abstinência, faz com que a retirada dela aconteça aos poucos, de modo mais consciente e consistente. Quando combinada à terapia comportamental, é de grande utilidade no processo de abandonar o cigarro.

O adesivo de nicotina é o método para TRN com maior índice de adesão, pois apresenta menos efeitos adversos e desconfortos quando comparado aos demais. Suas reações mais comuns são: insônia, vômito, enjoo, diarreia, vermelhidão no local e aumento na produção de saliva.

Quanto a possíveis restrições, é recomendado mais controle no uso do adesivo para parar de fumar em pessoas que apresentam doenças como a cardíaca aguda isquêmica grave. Mas, de modo geral, ainda é considerado melhor usar o adesivo do que permanecer fumando.

No entanto, somente um médico pode indicar a melhor solução, pois cada caso deve ser tratado de forma mais individualizada. Existe até controvérsia a respeito dessa terapia em quem fuma menos de 10 cigarros, por exemplo. É preciso considerar caso a caso.

Geralmente, a Terapia de Reposição de Nicotina é recomendada para quem tem alta dependência, isto é, a pessoa recebe pontuação acima de cinco em um teste específico, o Test de Fagerström.

Produtos como o adesivo de nicotina também são indicados normalmente quando existe histórico de síndrome de abstinência nos momentos de privação do fumo.

O adesivo para parar de fumar é um método que não necessita de prescrição médica. Por isso, é uma alternativa especialmente buscada por quem está tentando se livrar do vício sozinho. Porém, comprar livremente o produto na farmácia não quer dizer que deva ser dispensado o acompanhamento especializado.

Nos ambulatórios da rede pública de saúde, os adesivos podem ser obtidos mediante orientação médica.

As chances de quem usa o adesivo de nicotina são duas ou três vezes maiores de parar de fuma quando comparadas a outros métodos.

O que muita gente não sabe é que, embora eficaz em certos casos, o adesivo nem sempre deve ser utilizado isoladamente, isto é, sem outras formas terapêuticas. Os medicamentos para combater a abstinência não resolvem quadros de depressão, por exemplo.

Portanto, às vezes é preciso que seja desenvolvido também um trabalho de terapia cognitivo-comportamental, na qual é feita uma série de interações entre o fumante e o terapeuta. A finalidade é promover mudanças através das atitudes do próprio fumante.

Espero que o artigo de hoje possa ajudar você, um parente ou amigo a ficar livre do cigarro e a ter mais saúde.

Boa sorte, e até a próxima…