Cigarro

Como parar de fumar: melhores métodos e tratamentos

Fórmula mágica ninguém tem, infelizmente. Mas algumas estratégias, remédios e procedimentos podem ajudar parar de fumar. Hoje eu trago os melhores, para auxiliar você nessa missão muitas vezes difícil, porém, muito possível de acontecer – e com sucesso! Vamos lá!

Abandono sem suporte

Largar o vício a seco é algo que aproximadamente 90% de todos os que tentaram parar já fizeram. Uma forma muito popular, mas que é considerada a mais difícil, pois não utiliza ajuda externa. A pessoa decide não fumar, joga os cigarros fora e pronto, sem remédio, terapia ou nenhum outro recurso.

Apesar da força de vontade de manter firme a decisão de nunca mais comprar um maço, o sucesso da técnica acontece em apenas 4% a 7% das pessoas, pois a batalha com as demandas do corpo viciado acaba sendo dura demais. Por isso, é importante sempre levar outras opções em consideração também, embora tentar sempre seja válido.

Terapia comportamental

É outro método para parar de fumar. Existem atualmente diversas terapias focadas especificamente no abandono do tabagismo. Por meio delas, você passa a entender os gatilhos mentais que levam ao ato de fumar. Com auxílio de profissionais especializados, você recebe orientação para evitar a ativação dos tais gatilhos, criando um plano para ficar longe deles.

Tratamento com substituição de nicotina

É um modo muito eficiente, além de bastante utilizado. Adesivos, pastilhas e gomas de mascar com nicotina fornecem uma dose segura da substância, ou seja, uma quantidade que o organismo exige quando está viciado, permitindo que a pessoa não tenha a necessidade de fumar. Dessa forma, o fumante tem mais chances de, primeiro, largar o hábito, e, depois, aos poucos, ficar livre da sensação química da nicotina.

O adesivo de nicotina, por exemplo, é colocado na pele em locais sem pelos, liberando a substância aos poucos. Existem várias dosagens, e a escolha da melhor deve ser feita com orientação especializada, pois os casos precisam ser tratados de um jeito individualizado.

O tratamento com substituição de nicotina age diretamente na base química do vício. Entretanto, é fundamental ter em mente que esse processo pode não ser definitivo, uma vez que é preciso planejar não só o abandono do cigarro, mas também o da goma de mascar, adesivos e pastilhas.

Quando alguém decide parar de fumar, além de ter determinação, pode recorrer a alguns tratamentos. A reposição de nicotina é um dos mais conhecidos, sendo capaz de dobrar as chances de sucesso porque ficar sem ela é uma das maiores dificuldades do organismo dependente.

Remédios

Certos medicamentos e suplementos auxiliam na diminuição do impulso pelo cigarro e no controle dos sintomas da abstinência. Isso faz com que o tratamento seja muito mais eficiente. No entanto, há custos e possíveis efeitos colaterais.

Entre os remédios mais utilizados no combate ao tabaco estão a Bupropiona e a Vareniclina. O primeiro foi produzido inicialmente para tratar depressão, mas com o tempo os médicos perceberam sua atuação positiva também na redução da vontade de fumar. Já a Vareniclina foi criada para combater o tabagismo, agindo no sistema nervoso central e minimizando as crises de abstinência.

Tratamentos combinados

Uma alternativa interessante sobre como parar de fumar é a que une os melhores métodos e tratamentos, possibilitando resultados mais consistentes. Por exemplo: combinar a substituição da nicotina com a terapia comportamental. A união ajuda a controlar o afastamento do vício aos poucos, levando o paciente a perceber de forma duradoura como evitar o retorno do problema.

Lembrando: o conteúdo deste post tem função de informar. Apenas um médico pode decidir o que é melhor para cada pessoa e prescrever tratamentos de acordo com a situação específica. Consulte sempre seu médico.

Boa sorte, e até breve…