Cigarro

Efeitos e malefícios do Black de Menta: veja os principais

O cheiro considerado por muitos agradável, na verdade, disfarça os efeitos e malefícios do Black de Menta, nosso tema de hoje. Quer saber mais? É só conferir o artigo até o fim, e entender por que é importante ficar longe de cigarros assim.

Pneumologistas espanhóis especializados em tabagismo afirmam que cigarros de menta são ainda mais perigosos. Tudo porque os chamados mentolados aumentam a dependência do tabaco e trazem mais riscos à saúde que os convencionais.

Em outras palavras, o mentol favorece o hábito de fumar, a dependência e, para completar, ainda dificulta o abandono do vício, de acordo com os autores de um estudo específico desenvolvido por médicos do Serviço de Pneumologia do Hospital Gregorio Marañón de Madri.

Se você já fuma mentolados ou está pensando em trocar os tradicionais cigarros por eles, é bom considerar efeitos e malefícios do Black de Menta, para citar apenas um exemplo de produto do gênero.

Há relatos de pesquisas sugerindo que a ingestão de substâncias cancerígenas é maior entre os que fumam cigarros de menta. Além disso, os consumidores de tais produtos sofrem mais de doenças ligadas ao tabagismo do que os adeptos dos cigarros regulares.

E mais: o mentol, que está por trás dos efeitos e malefícios do Black de Menta, é o responsável pela sensação de inalação mais fresca e profunda; age como analgésico local capaz de suavizar o próprio efeito do fumo nas vias respiratórias, facilitando o ato de fumar.

Outro ponto importante sobre os cigarros de menta é que eles não são “mais saudáveis” que os demais. A quantidade de partículas extrafinas na fumaça desse tipo de cigarro é superior – o que, por sua vez, é capaz de levar a um risco maior de infarto do miocárdio.

Estes e outros motivos fazem com que, no mundo inteiro, não seja raro encontrar pedidos de proibição da adição de mentol nesses produtos, sendo que países como Canadá e Estados Unidos já proíbem a comercialização de cigarros aromatizados.

Efeitos e malefícios do Black de Menta e outros cigarros do gênero

E no Brasil, o que será que diz a Agência Nacional de Vigilância Sanitária a respeito do tema efeitos e malefícios do Black de Menta e similares? Bem, falando de cigarros em geral, desde 2012, a Anvisa proibiu a fabricação e venda de produtos derivados do tabaco que contenham aditivos, incluindo o cigarro de menta.

Para a Agência, os aditivos mascaram o forte e amargo sabor natural do tabaco, tornando o cigarro mais atraente especialmente entre os adolescentes e jovens.

Um dos efeitos e malefícios do Black de Menta é, portanto, servir de porta de entrada para o vício, graças a substâncias como aromatizantes e flavorizantes (que conferem aroma) e os ameliorantes (que amenizam o odor da fumaça).

A determinação da Anvisa é embasada em estudos brasileiros feitos por instituições como a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e Fundação Oswaldo Cruz. Segundo eles, 60% dos adolescentes fumantes preferem os cigarros mentolados.

Sem falar que os jovens que consomem o cigarro de menta acabam fumando quase o dobro da quantidade de tabaco de um cigarro convencional. Um estudo da Universidade de Waterloo, no Canadá, indica que os usuários dos mentolados fumam cerca de 43 cigarros por semana; já os fumantes dos tradicionais consomem em média 26 no mesmo período.

A mesma pesquisa também revela que há uma propensão três vezes maior de continuar o vício no ano seguinte entre os fumantes de mentol. Algo tido como ainda mais grave se for considerado o que estudos anteriores demonstram: a maior parte dos adultos fumantes de longo prazo começou o hábito na adolescência.

Além de falar sobre efeitos e malefícios do Black de Menta, espero que este post possa ajudar você a refletir sobre questões gerais ligadas às consequências do tabagismo, tanto com os produtos autorizados para produção e venda aqui no Brasil quanto com os proibidos.

Até a próxima!