Cigarro

Narguilé malefícios: cachimbo pode ser mais prejudicial que o cigarro

O alerta é feito pelo Instituto Nacional de Câncer, que já tratou dos malefícios do narguilé em campanha no Dia Nacional do Combate ao Fumo, celebrado em 29 de agosto. A ideia foi mostrar que o cachimbo faz tão mal (às vezes, mais) à saúde quanto o cigarro, ao contrário do que muita gente pensa.

O intuito do INCA de sensibilizar a população a respeito do tema incluiu conscientização dos que já usam o cachimbo, mas, principalmente, daqueles que têm vontade de iniciar. “Parece inofensivo, mas fumar narguilé é como fumar 100 cigarros”, dizia a campanha de 2015 que divulgava informações dos malefícios causados pelo consumo do tabaco no dispositivo.

Existe uma preocupação especial das autoridades e entidades ligadas à saúde com a popularização do narguilé entre os jovens – a maioria atraída pela suposta (e errônea) noção de que cachimbo não oferece riscos. O que, quase sempre, acaba sendo porta de entrada para outros derivados do tabaco, como o cigarro.

Sem falar nos aromatizantes adicionados ao cachimbo, uma estratégia da indústria tabagista para atrair ainda mais o público jovem. Como se os aromas disfarçassem os efeitos nocivos do uso do aparelho.

Mas a Organização Mundial da Saúde adverte que basta uma sessão de narguilé, ou seja, cerca de 20 a 80 minutos, para ficar exposto a todos os componentes tóxicos encontrados na fumaça de uma centena de cigarros.

O mito de que o narguilé é menos agressivo esconde outro problema sério: ele também causa dependência. Além disso, o uso do cachimbo está significativamente associado ao desenvolvimento de doenças respiratórias, enfermidade periodontal e ao baixo peso ao nascer.

Em longo prazo, o consumo de narguilé é capaz de levar ao câncer de pulmão, tumores malignos de boca e bexiga; aterosclerose e doença nas artérias coronárias.

De acordo com a OMS, fumar narguilé ainda favorece a transmissão de herpes, hepatite C e tuberculose, devido ao compartilhamento do bucal. O acessório usado para fumar pode carregar inúmeras doenças infectocontagiosas, pois há contato direto com a mucosa das pessoas que participam das sessões de fumo do cachimbo.

Como funciona o narguilé

O narguilé, também chamado de cachimbo d’ água, Hookah ou shisha, é um equipamento que provoca o aquecimento do tabaco, sendo que a fumaça produzida nesse processo passa por um filtro de água antes de ser aspirada através de uma mangueira.

Há quem acredite piamente que é mais seguro consumir narguilé do que cigarro por causa dessa tal filtragem. Porém, não é bem assim.

Um relatório da Organização Mundial da Saúde, divulgado em 2005, mostra que a água filtra somente um pouco da nicotina. O fato é que a fumaça continua transportando uma dose da substância capaz de viciar os fãs do narguilé.

E mais: existem outros venenos resultantes da queima do fumo, entre eles o monóxido de carbono e os metais pesados, que permanecem intactos e podem fazer até mais mal.

O carvão em brasa libera o monóxido de carbono, que aumenta o risco de surgimento de vários tipos tumores malignos.

Muito utilizado nos países do mundo árabe, o narguilé produz fumaça, que é inalada, levando aos pulmões uma mistura de nicotina, metais pesados e elementos cancerígenos.

Os maléficos do narguilé, como vimos hoje, são muitos. O cachimbo pode ser mais prejudicial à saúde do que o cigarro comum, e tão viciante quanto o tabaco tradicional.

Estudos sobre o assunto ainda estão em curso, mas a OMS já é capaz de afirmar, seguramente, que os usuários de narguilé estão sujeitos a infarto, disfunção erétil, problemas nos pulmões e câncer, assim como os fumantes convencionais.

Portanto, se você é adepto do produto ou conhece alguém interessado em fumar narguilé, espero que o post de hoje possa ajudar a esclarecer suas dúvidas sobre o tema.

Cuide-se! Até breve…

Leave a Comment