Cigarro

Parar de fumar em 5 dias é possível? Saiba como aumentar as chances

Parar de fumar em 5 dias… É possível? Algumas pessoas conseguem. Tem gente que decide, escolhe um dia, e pronto, deixa o cigarro. Outras, não. Porém, nem sempre é por falta de vontade. Só que existem meios de auxiliar para que haja sucesso nessa jornada cheia de desafios.

Olhando pelo ângulo da determinação, da força de vontade, tudo é possível, mas é claro que depende do caso. Não é à toa que os tratamentos são bem individualizados, e devem ser feitos por profissionais capacitados.

Em geral, é possível deixar de fumar em um tempo relativamente curto e sem recorrer a ajuda médica.

No entanto, assim como os profissionais de saúde avaliam caso a caso antes de prescrever um tratamento, abandonar o cigarro em menos de uma semana, somente com a força do pensamento, nem sempre funciona devido inúmeros fatores. Um deles é a dependência química.

Não custa nada contar com ajuda de algumas dicas para fugir das recaídas, sendo que algumas delas precisam de um tempinho extra…

Dá uma olhada no que você pode fazer para aumentar as chances de sucesso no seu processo de parar de fumar:

  • Defina uma data para abandonar de vez o cigarro – escolher uma época, período e/ou dia é fundamental. O intervalo nunca deve passar de 30 dias depois do seu pensamento sobre deixar de fumar. Se a vontade bateu forte no dia 1º de agosto, por exemplo, determine o último dia como fumante sendo o 31 de agosto.

Assim, você pode fazer seu planejamento e visualizar sua vida nova até lá, com muito mais ânimo. Mas se der para realizar o processo em 5 dias, melhor!

Outra opção é escolher uma data com significado especial, tal qual o nascimento de um filho, o término de um curso tão sonhado etc. A ideia é buscar motivos extras para motivação e tornar o processo mais fácil de começar.

  • Livre-se dos objetos ligados ao cigarro – na sua residência ou local de trabalho, jogue fora tudo que lembrar o ato de fumar. Desapegue-se de isqueiros, cinzeiros ou pacotes de cigarro.
  • Evite o cheiro – faça uma limpeza especial em roupas, toalhas, colchas de cama, lençóis, cortinas, enfim, em tudo o que possa ter o cheiro do cigarro. Evite também os lugares nos quais outras pessoas estão fumando. Fuja do cheiro da fumaça!
  • Faça escolhas melhores para substituir a vontade de fumar – quando o desejo de fumar bater, o ideal é ter sempre à mão algo como uma bala sem açúcar, pedaços de gengibre, água, chá ou suco de goiaba. Mascar ou beber ajuda a diminuir o desejo pelo cigarro e a sensação de fome.

Lembre-se de passar bem longe de alimentos ricos em açúcar e gordura, pois o risco de engordar com eles é maior ao deixar de fumar. A prática de exercícios físicos é importante durante este período em especial.

  • Distraia-se – faça atividades agradáveis quando der vontade de acender um cigarro. Substitua a sensação de perda por algo prazeroso, como um passeio ao ar livre, trabalhos artesanais (pintura, crochê, bordado), um livro, jardinagem etc. O recomendado é ter sempre algo para ocupar o tempo e as mãos todos os dias. Esportes são sempre bem-vindos, claro!
  • Envolva a família na sua decisão – isso torna a fase menos difícil. Amigos e parentes próximos são uma ajuda e tanto, principalmente quando entendem e respeitam os desagradáveis sintomas da síndrome de abstinência: ansiedade, dor de cabeça, depressão, irritabilidade, inquietação, mal-estar físico e alterações do sono, entre outros.

Parar de fumar, em 5 dias ou mais, é sempre a decisão mais acertada para recuperar a saúde ou, no mínimo, prevenir uma porção de problemas e doenças.

Quanto mais cedo e rápido você ficar livre do hábito, melhor! Já nos primeiros dias, é possível notar os benefícios, que são progressivos.

A inciativa própria de dar um fim ao vício é um grande passo na luta contra o tabagismo.

Muitas vezes, a motivação surge da conscientização dos malefícios do cigarro, do entendimento sobre as vantagens de largar o hábito. Entre elas estão a melhoria do funcionamento dos pulmões e coração, além da redução do risco de ter problemas cardiovasculares, (infarto ou AVC) e até câncer.

O conteúdo deste post tem função de informar. Apenas um médico pode decidir o que é melhor para cada pessoa e prescrever tratamentos de acordo com a situação específica.

Cuide-se! Até a próxima!