Cigarro

Parar de fumar engorda? Como evitar ganho de peso? Tire suas dúvidas

É uma das maiores preocupações do fumante: parar de fumar engorda? Pode ser que sim, pode ser que não. Mas o fato é que o possível ganho de peso faz muita gente desistir da tentativa de deixar o cigarro no passado. E o que estará por trás disso exatamente? Tem como impedir?

Na realidade, nem todo mundo ganha uns quilinhos depois de eliminar o fumo da vida. Entre os ex-fumantes que engordam, a maior parte acrescenta cerca de 3/4kg. Em média, 10% das pessoas neste contexto ganham muito peso (13 kg ou mais).

O primeiro ponto capaz de levar um ex-fumante a engordar é a melhora no paladar e olfato. Pensa bem: depois de um tempo com o gosto do cigarro constantemente na boca – e todas as consequências dele nas mucosas e outras estruturas -, sentir o cheiro e o sabor da comida é muito estimulante, concorda?

Fora isso, com a ausência do cigarro, a pessoa não tem mais aquela sensação de algo na boca. Então, busca a gratificação oral na comida, para compensar o gesto repetitivo de fumar.

É muito comum o ex-fumante não só passar a comer mais nas refeições principais, mas também passar a beliscar mais vezes entre uma e outra.

Quando o cigarro é utilizado para lidar com situações desconfortáveis, como a integração social, a falta do que fazer, o estresse e a tensão, a falta dele pode levar a outras válvulas de escape. O alimento é uma delas, sendo que as consequências acabam aparecendo na balança. A ansiedade e as mudanças no metabolismo também podem influenciar o aumento de peso.

Ok, então, é impossível parar de fumar e não engordar? Não.

Veja dicas para abandonar o vício sem perder o controle:

  • Mantenha uma dieta balanceada – a alimentação saudável deve conter todos os macro e micronutrientes (gorduras do ‘bem’, proteínas, carboidratos; vitaminas e minerais) importantes para o funcionamento do organismo, em quantidades ideais para cada pessoa. Fibras e água também são fundamentais para a manutenção de nossas funções vitais. Ou seja, saiba o que está comendo, em um sentido mais profundo…
  • Monitore o seu peso – perceba se está engordando subindo na balança pelo menos uma vez por semana. Se não for possível, observe se suas roupas estão mais justas.
  • Se estiver muito difícil controlar a própria alimentação, peça ajuda indo a um nutricionista ou médico. Os profissionais capacitados podem identificar os motivos da má alimentação e criar uma estratégia para controlar o seu peso.
  • Tenha como prioridade número um o abandono do vício.
  • Faça refeições equilibradas regularmente – nada de passar horas demais de estômago vazio.
  • Evite comer mais do que você gasta em calorias.
  • Estipule um limite para os beliscos entre as refeições.
  • Fuja dos doces.
  • Pegue leve quando comer fora.
  • Mastigue bem os alimentos – coma devagar e apoie os talheres entre uma garfada e outra.
  • Pratique atividades físicas com constância – elas ajudam a amenizar a ansiedade e estimulam a liberação de serotonina, o hormônio responsável pela sensação de prazer. E ainda servem para desviar a atenção, normalmente muito voltada ao controle da vontade de fumar. O recomendado é escolher atividades que você tenha prazer em realizar.

Uma dica é a caminhada – diária ou no mínimo três vezes por semana – de 30 minutos. Uma ótima forma de beneficiar corpo e mente. Caso você já faça exercícios regularmente, talvez seja hora de intensificar o ritmo, dentro do seu limite, claro. E sempre com avaliação médica, não importa o nível do condicionamento físico.

É claro que prática de exercícios e boa alimentação devem fazer parte da rotina de todos, e não somente do dia a dia de quem deixou o cigarro. No entanto, a disciplina é ainda mais relevante considerando as dificuldades enfrentadas durante e logo após o processo de abandono do tabaco.

E mesmo que você venha a engordar ao longo da etapa de cessação do tabagismo, é possível emagrecer depois, ainda mais com auxílio de um nutricionista ou médico.

Sucesso na sua batalha contra o cigarro!

Até breve…